Presidente da Câmara de Ibirapitanga é afastada do cargo por suspeitas de corrupção

O MP diz ainda que a vereadora teria atuado de forma direta para superfaturar contratos na Câmara. Cumprindo seu quinto mandato, Marlene foi reeleita em 2020 com 401 votos.

Por Diário Paralelo em 09/03/2024 às 09:58:57

O juiz Carlos Eduardo da Silva Camillo, da Comarca de Ubatã, decretou o afastamento da vereadora e presidente da CĂąmara de Ibirapitanga, Marlene Sena Santos, após Ă­ndicios de corrupção praticado pela parlamentar. Marlene foi denunciada pelos próprios colegas, que apontaram na denĂșncia enriquecimento ilĂ­cito da vereadora.

A denĂșncia foi apresentada ao MinistĂ©rio PĂșblico da Bahia, que deu procedĂȘncia ao caso, reforçando ainda que Marlene causou sĂ©rios prejuĂ­zos ao erĂĄrio em Ibirapitanga.

AlĂ©m de decidir pelo afastamento da vereadora, o juiz estabeleceu ainda uma multa diĂĄria de R$ 50.000,00 reais, caso ele não se afaste do cargo. De acordo com o MinistĂ©rio PĂșblico, existem fortes Ă­ndicios de que uma empresa, que presta serviços à CĂąmara de Vereadores, presidida por Marlene Sena, seja de fachada. Os sócios da ALVAJA teriam fortes ligações com o tambĂ©m vereador Hebert (PSD).

O MP diz ainda que a vereadora teria atuado de forma direta para superfaturar contratos na CĂąmara. Cumprindo seu quinto mandato, Marlene foi reeleita em 2020 com 401 votos.

Comunicar erro

ComentĂĄrios